Doadores de sangue e órgãos recebem homenagens na Câmara Municipal

0
453

“Nosso trabalho depende apenas de um sim”. A frase do Dr. Laércio Martins Stefano resume bem o sentimento da Organização de Procura de Órgãos (OPO) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), que ao lado da equipe do Hemocentro, participou da entrega do diploma de “Reconhecimento Comunitário aos Doadores de Sangue e de Órgãos” promovida pela Câmara Municipal, durante sessão ordinária na noite da última segunda-feira (20). Ambos serviços também foram homenageados pelos vereadores com moções de congratulações.

Equipes da OPO e do Hemocentro são homenageadas

O ato obedece à Resolução 329, de 18 de maio de 2004, o qual homenageia anualmente a pessoas indicadas pela OPO e o Hemocentro. Neste ano receberam tal honraria: Adriana Viriato Godoy (doadora de plaquetas); Antonio Santos Albano (doador de sangue); Juliana Rodrigues Pimentel (doadora especial de sangue); Pedro Augusto Langona – representante da família de João Antonio Langona (doador de córneas); e Surya Campos Tecchio Lopes – representante da família de Marília Avellar Campos Tecchio (doadora de múltiplos órgãos).

“Que Deus retribua com muita saúde a atitude humanitária de cada um [dos doadores]. O ato de desprendimento que demonstram com este tipo de gesto é um verdadeiro exemplo e a sociedade sempre será devedora por tamanho ato de grandeza. Em nome de toda Câmara Municipal, quero cumprimentá-los. Que o gesto sirva de estimulo a outras pessoas”, enfatiza o presidente da Câmara de Botucatu, vereador Izaias Colino.

Se colocar no lugar do próximo

Reconhecimento Comunitário aos Doadores de Sangue
e de Órgãos é entregue na Câmara Municipal

Surya Tecchio (34), as irmãs e o pai, sofreram com a morte da mãe, dona Marília, vítima em agosto passado de um aneurisma cerebral, aos 62 anos. Na época, apesar de ter que encarar a dor da perda, toda família estava bastante consciente e decidida quanto a ajudar outras pessoas através da doação de órgão.

“A gente sempre falou bastante sobre este assunto. Nunca hesitamos. Só de saber que os rins da minha mãe fizeram com que duas pessoas pudessem sair das máquinas de diálise ou que as córneas dela hoje possibilitam outras pessoas a enxergar melhor, já valeu a pena. A saudade da minha mãe fica, mas pelo menos renovamos a esperança de outras pessoas que lutam por uma qualidade de vida melhor. Para isso, é preciso se colocar no lugar do próximo”, diz a assistente administrativa, que trabalha no Centro de Saúde Escola.

Fila da esperança

De acordo com Dr. Laércio Stefano, atualmente, em todo o Brasil, 33 mil pessoas aguardam algum tipo de transplante. E apenas em 2016, ao menos 1.300 pessoas morreram na fila, na espera de algum órgão que oferecesse a esperança de sobrevida. No entanto, para poder acelerar este processo, é necessário maior conscientização por parte da população.

“Ainda há muitos mitos em relação à este assunto. As pessoas têm medo que, por algum motivo, seja retirado o órgão antes mesmo da pessoa falecer. Mas não há chances disso ocorrer porque o processo é muito rigoroso”, afirma o médico. “Este ano, até o momento, já realizamos 18 captações de múltiplos órgãos. Cinco a mais que no ano passado. Mas temos condições de atender mais”, complementa.

Conscientizar e fidelizar

Dr. Thiago Herbest e Sílvio Neves discursam
durante cerimônia

Presentes ao evento na Câmara, Dr. Thiago Eugênio Gouveia Herbest e Silvio Luiz Neves, respectivamente diretor médico e diretor técnico do Hemocentro, também fizeram questão de enaltecer mais este gesto do Poder Legislativo, em reconhecimento às pessoas doadoras. Segundo eles, a média de bolsas de sangue têm aumentado nos últimos meses devido a reformulações dentro do processo de captação. Porém, as ações não podem parar.

“O maior desafio é a fidelização desses doadores. Fazer com que eles possam doar regularmente ao longo do ano. Uma de nossas apostas é o projeto Doadores do Futuro, no qual trabalhamos o conceito de doação junto a crianças a partir de 6 anos e adolescentes a partir de 16, para que elas possam influenciar os pais, familiares e amigos”, argumenta Neves.

“Estão sendo concluídas as obras de adaptação de um espaço dentro do Hospital Misericórdia (Unimed), no Centro da Cidade, para que a partir do ano que vem tenhamos uma alternativa a mais às pessoas que queiram doar sangue. A proposta é também ter estacionamento próprio a doadores, com horários e dias diferenciados ao que já é praticado pelo Hemocentro, dentro do HC, no campus Rubião Júnior”, informa Herbest.

Dia do Doador de Sangue

Uma nova homenagem a doadores de sangue será realizada no próximo dia 27, às 14 horas, no Salão Nobre da FMB. O evento encerrará uma série de atividades que tem sido promovida pelo HCFMB em celebração ao Dia Nacional do Doador de Sangue, lembrado todo dia 25 de novembro.

Serviço

Mais informações sobre o Hemocentro e a OPO podem ser obtidas, respectivamente, pelos telefones (14) 3811-6234 – ramal 240 e 3811-6386. Ou mesmo no site do Hospital das Clínicas: www.hcfmb.unesp.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here