HCFMB capacita profissionais da região sobre utilização de sondas

0
293

O Serviço de Terapia Nutricional (STN) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) promoveu na última semana o II Workshop Multidisciplinar de Primeira Via Alternativa de Alimentação (Primeira Sonda). Com o intuito de reunir a atenção primária, secundária e terciária, o evento contou com profissionais de diversas áreas, como nutricionistas, enfermeiros, fonoaudiólogos, entre outros. O workshop realizou palestras e discussões, além de uma demonstração prática sobre técnicas de sondagem nasoenteral, estudo de caso e disfagia.

Este projeto conta com apoio da Diretoria Regional de Saúde de Bauru (DRS VI), para que todos os pacientes desta região (Polo Cuesta e Jurumirim) tenham um atendimento adequado. “É um trabalho que a gente considera extremamente importante para dar uma assistência maior a esse paciente e evitar futuras complicações no manejo da sonda”, explica Dr. Filipe Welson Leal Pereira, médico do STN do HCFMB.

Após a explanação sobre a implantação do projeto, foram discutidos assuntos como: vias alternativas de alimentação, avaliação nutricional do paciente e avaliação do risco de disfagia. Visando atender a todos de forma especializada, as apresentações foram feitas por profissionais de diversas áreas que mostraram como agir em determinadas situações.

Como ponto de partida deste programa, em dezembro de 2018, foi lançada o manual “Como Cuidar da Alimentação por Sondas em Casa”, idealizada pelo STN do HCMB em conjunto com o Núcleo de Nutrição e Dietética. O manual é composto por documentos e instruções previamente utilizados pelos profissionais no momento da alta hospitalar, mas com uma linguagem mais fácil para que os familiares e cuidadores entendam e saibam como agir em determinados casos.

Para a Daniela Vulcano, nutricionista do STN do HCFMB, este projeto é uma forma de humanizar e reduzir as informações no momento da alta hospitalar. “Com esse evento conseguimos capacitar os profissionais da atenção básica, otimizando a referência e contrarreferência de todos que fazem parte do processo de alimentação do paciente que utiliza via alternativa de alimentação.”, ressalta.

Juliana Pinheiro – 4toques Comunicação  

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here