Hospital das Clínicas de Botucatu realiza grande captação para viabilizar transplantes de órgãos

0
9104

O Serviço de Procura de Órgãos e Tecidos (SPOT) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) realizou uma grande operação de captação de órgãos na manhã de ontem, 25.

Foram captados coração, rins, fígado e córneas de um paciente jovem diagnosticado com morte cerebral. O helicóptero Águia da Polícia Militar transportou o coração do doador ao Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para transplante imediato. O fígado foi captado por uma equipe de transplantes de um hospital de São José dos Campos, e os rins e as córneas pelas equipes do HCFMB. Todas as diferentes equipes estavam no HCFMB ao mesmo tempo para iniciar a captação dos órgãos, que foi realizada na seguinte ordem: coração, fígado, rins e córneas.

O coordenador médico da Organização de Procura de Órgãos (OPO) do HCFMB, Dr. Laercio Martins Stefano, informou que toda a legislação vigente foi seguida nesse processo de captação. “Diariamente, são realizadas buscas de possíveis doadores de órgãos e tecidos, tanto no HC de Botucatu, quanto nos hospitais da região. Uma vez identificado um possível doador, começamos um processo bastante rigoroso para o diagnóstico de morte encefálica, conhecida como morte cerebral. Nesse momento, a família do paciente é comunicada sobre o possível diagnóstico de morte. Esse processo é bastante delicado e exige a ação de profissionais extremamente capacitados”, diz.

Após esse processo, são apresentadas à família duas possibilidades: a doação de órgãos ou o desligamento dos aparelhos e devolução do corpo para sepultamento. Havendo a autorização da doação pela família, a Central de Transplantes do Interior, que fica em Ribeirão Preto, é acionada. Quando todos os exames obrigatórios para a doação estiverem liberados, e não houver nenhuma contraindicação, a Central é notificada novamente, e é feita uma pesquisa de possíveis receptores dos órgãos doados.

Caso não haja possibilidade de captação pelas equipes do interior, a Central de Transplantes da Capital é acionada, e ocorre uma nova busca de possíveis receptores. Dr. Laercio explica que foi dessa forma que o Sírio Libanês foi contatado. “Felizmente, o Hospital Sírio Libanês tinha um receptor compatível”, afirma.

Toda essa logística demora em média 12 horas para ser concluída. Após a captação dos órgãos por todas as equipes, o corpo é devolvido à família para o sepultamento. Dr. Laercio afirma que o HC de Botucatu está muito bem estruturado para a captação de órgãos e tecidos. “Nossa equipe é especializada e todo o processo é conduzido com segurança, respeitando os prazos e protocolos necessários para que o órgão chegue ao destino com sucesso”, diz.

Segundo o chefe de gabinete da Superintendência do HCFMB, Dr. André Balbi, o SPOT do HCFMB é um serviço de alta capacidade na captação e doação de órgãos e tecidos. “Temos uma equipe muito preparada para a conscientização de doação de órgãos e focada na qualidade do serviço. Esses tipos de ações só tendem a aumentar em nosso hospital”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here