Câncer de Mama – Vamos falar sobre isso?

0
960

Para encerrar o mês dedicado à conscientização e combate ao câncer de mama, a Professora Doutora Heloísa Maria de Luca Vespoli, médica mastologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) orienta todas as mulheres, de qualquer idade, a realizarem o auto-exame das mamas. Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores as chances de cura da doença.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer, no Brasil só em 2016, são esperados cerca de 58 mil casos novos de câncer de mama. Sendo o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente no Brasil, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28%. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer é o mais freqüente nas mulheres das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Pensando nesses números e enfatizando a importância do diagnóstico precoce, Drª Heloísa esclarece alguns pontos sobre o Câncer de Mama, principais sintomas e fatores de risco.

Leia as 20160226_103412-1orientações e se toque!

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

Existem dois fatores de risco importantes:

  • Fator de risco familiar. Existe o fator hereditário, mas estes representam de 5 a 10% de todos os cânceres de mama. Muitas mulheres se confundem ao dizer que estão fora de risco por não terem ninguém na família com histórico de câncer de mama. A maioria dos casos de câncer de mama não são hereditários.

 

  • Mulheres que já tiveram algumas lesões pré malignas anteriores e que provavelmente não foram diagnosticadas podem evoluir. Existem vários outros fatores que são considerados de risco, mas que não se pode intervir.

 

Outro fator de risco que tem sido considerado e vale a pena enfatizar, são as mulheres obesas no período pós menopausa. Vários trabalhos mostram que estas mulheres têm maior risco.  Algumas dicas para evitar esse fator de risco são a alimentação saudável e a atividade física.

É importante que as mulheres observem suas mamas com freqüência, seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano, sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.

 Sinais e sintomas

O ideal é não ter sintoma, ou seja, diagnosticar a doença quando ela ainda é assintomática. Porém, os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:

  • Nódulo (caroço) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Caso surja qualquer um desses sintomas, a mulher deve procurar imediatamente um serviço para avaliação. Isso não quer dizer que a mulher esteja com a doença, mas é importante procurar por avaliação médica.

O único exame que serve como rastreamento para o diagnostico precoce é a mamografia, que pode detectar o câncer de mama ainda na fase assintomática – quando não é palpável nem pela paciente, nem pelo médico. O recomendado é o exame anual para mulheres acima de 40 anos de idade.

A maior incidência de câncer de mama é nas mulheres acima dos 50 anos, porém há um aumento expressivo no número de mulheres diagnosticadas a partir dos 40.

Atualmente o tratamento para o câncer de mama é totalmente personalizado. “Existem vários tipos e varias formas de apresentação da doença, então o tratamento é direcionado e isso é muito importante”, ilustra a doutora.

 Serviço

O Centro de Avaliação em Mastologia possui atendimento “porta aberta”. De maneira geral, a mulher que perceber qualquer alteração, principalmente nódulo, pode procurar o Pronto Atendimento da Mulher no HCFMB. É importante salientar que, em função do volume de atendimento, a consulta pode ser reagendada, porém, normalmente com data próxima.

Além disso, o HCFMB conta com uma parceria entre as Unidades Básicas de Saúde (UBS) onde o próprio médico pode e deve pedir a mamografia e examinar as pacientes. Os dois exames aliados são muito importantes para concluir o diagnóstico. Se houver alguma alteração, este médico também encaminha a paciente para o HCFMB.

 

Homenagem ao Professor Dr. Gilberto Uemara

No mês em que ocorrem as ações de prevenção e combate ao câncer de mama, o médico docente Dr. Gilberto Uemara veio a falecer. Ele que atuou na linha de frente para salvar vidas de mulheres diagnosticadas com a doença, recebe uma singela homenagem do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia e do Centro de Avaliação em Mastologia (CAM):

Nosso colega, amigo e professor Dr. Gilberto Uemura nos deixou. Dr. Gilberto entrou na FMB em 1983, fez sua residência aqui, logo em seguida foi contratado como médico, depois docente e, desde então, permaneceu conosco. Querido pelos colegas, alunos e funcionários, muito contribuiu para todas as atividades deste departamento, sobretudo na graduação, onde era querido por todos. Não sabemos os desígnios “Lá de Cima”, mas, de certo, sua missão aqui na terra estava cumprida. Que Deus conforte toda sua família. Neste momento, só temos a agradecer o período em que trabalhamos, estudamos e conversamos juntos. Descanse em paz querido “Dr. Giba”!!!!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here