ENDOMETRIOSE

0
5795

A endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido endometrial (glândulas e estroma), que se encontra externamente na cavidade uterina, principalmente na cavidade pélvica e ovários. Estima-se que a endometriose atinge de 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva.

 

SINTOMAS:

As principais características são: dor pélvica crônica e infertilidade. Sintomas desse tipo podem ter um grande impacto no bem-estar físico, emocional, mental e social, ocasionando perda de qualidade de vida e da capacidade produtiva. Por se manifestar durante o período reprodutivo da mulher, o sintoma mais característico é a dismenorreia, que é a menstruação dolorosa. As dores são mais intensas no perídio peri-menstrual (iniciando mais frequentemente no primeiro dia da menstruação, mas podendo prosseguir) e diminuem com o término da menstruação. Outros sintomas, além da infertilidade, são descritos como alterações menstruais, dispareunia (dor durante as relações sexuais) de profundidade, dor na região dorsal e dor pélvica crônica.

DIAGNÓSTICO:

Por a sua causa não ser totalmente compreendida há algumas limitações dos exames clínicos, por isso para se obter uma avaliação precisa da localização das lesões é necessário fazer uma ultrassonografia transvaginal e uma ressonância magnética. A ultrassonografia é importante para avaliar lesões profundas que podem ter atingido a bexiga e o intestino. Já a ressonância magnética permite um mapeamento completo das lesões. Outro exame é a laparoscopia com a biópsia das lesões, que é o mais indicado para diagnosticar a endometriose, porque é através dele que vai ser permitido o tratamento cirúrgico.

TRATAMENTO:

O tratamento padrão indicado é a utilização de pílulas contendo estrogênio e progesterona. Geralmente, é utilizado em mulheres mais jovens, podendo ser indicada por um esquema contínuo ou em regime cíclico. Mas, em muitos casos, o tratamento cirúrgico é necessário para o alívio e controle dos sintomas. Isso porque os medicamentos são ineficazes nas lesões atômicas. Os objetivos do tratamento são o controle da dor, suspender a progressão da doença e preservar a fertilidade.

PREVENÇÃO:

Não existe nenhuma estratégia preventiva específica. O diagnóstico precoce, talvez, seja a melhor forma de evitar a progressão e as sequelas que essa doença pode deixar. Existem alguns dados, que demonstram que mulheres que fazem regularmente atividade física são menos propensas a serem atingidas pela endometriose. Um tratamento individualizado, que englobe aspectos físicos, psicológicos e sociais associados à doença, é necessário, principalmente nas pacientes mais jovens.

Texto elaborado pelo Dr. Daniel Dias, Ginecologista e Professor Assistente Doutor responsável pelo setor de Endoscopia Ginecológica e Oncoginecologia – Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Faculdade de Medicina de Botucatu – FMB/Unesp  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here