Simulado de catástrofe avalia atendimento de urgência e emergência em Botucatu

0
1965

Foi realizado nesta terça-feira, (15), no Shopping Botucatu, um simulado de princípio de incêndio. O treinamento foi realizado em uma das salas do cinema e contou com a participação de 70 vítimas (atores) que foram classificadas da seguinte maneira: cinza (vítimas fatais), vermelha (estado gravíssimo), amarela (estado grave) e verde (vítimas com pequenas escoriações).

A ação durou quase duas horas e mobilizou as principais forças de segurança, além de equipes que trabalham diretamente na Rede de Urgência e Emergência de Botucatu. Foram contabilizados, de maneira fictícia, quatro óbitos, além de 20 vítimas graves e outras 10 vítimas leves encaminhadas aos prontos socorros de Botucatu. Outras pouco mais de 40 pessoas foram socorridas no próprio local, mas sem apresentar quaisquer escoriações ou risco de morte.

O objetivo do treinamento foi integrar os serviços e padronizar as ações que garantam recursos humanos e materiais extras para atendimento a pacientes em casos de desastres e catástrofes, em situações que excedam a capacidade de atendimento habitual dos serviços de urgência e emergência de Botucatu. Logística, comunicação e infraestrutura são outros itens que receberam uma atenção especial de todos os envolvidos.

Além de colocar em prática o Sistema Integrado de Comando e Operações em Emergência (Sicoe) do Corpo de Bombeiros, o simulado proporcionou o exercício do método S.T.A.R.T no qual as vítimas são triadas e atendidas conforme a gravidade que cada uma apresenta. A ideia do simulado foi chegar o mais perto possível de uma situação real. Por isso, todos os procedimentos foram cronometrados e criteriosamente avaliados. O exercício deste ano envolveu aproximadamente 250 profissionais, desde pessoas que atuaram como vítimas até condutores de ambulâncias, enfermeiras, médicos, bombeiros, policiamento e segurança civil.

O tenente Edson Winckler Filho, comandante do Corpo de Bombeiros de Botucatu, responsável pela ação, classificou o simulado como “ótimo”. “Consideramos a ação um sucesso. Pudemos visualizar o entrosamento entre as equipes que participaram do simulado e também avaliamos nosso treinamento. Assim, podemos melhorar alguns pontos e a qualidade de nosso atendimento”, relata.

Para a responsável pelas unidades de urgência e emergência de Botucatu, sob gestão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina, Silvia Eduara Kennerly, o simulado foi uma oportunidade para avaliar o atendimento realizado nos serviços. “A ação foi uma oportunidade para avaliar nosso atendimento e melhorar nossa assistência aos pacientes. Todo o simulado foi avaliado pelo quesito da organização”, avalia.

Este foi o segundo simulado deste porte realizado na Cidade. No ano passado, o Teatro Municipal foi o cenário escolhido. Na época, a avaliação foi extremamente positiva pois se tratava de uma experiência inédita em Botucatu. A iniciativa local surgiu após o caso da boate Kiss, ocorrido na cidade de Santa Maria (RS), em janeiro de 2013, quando mais de 200 pessoas morreram após um incêndio dentro da casa noturna.

“Não tenho dúvida que Botucatu sai mais uma vez na frente e agora serve de exemplo a outras cidades que talvez não tenham a mesma estrutura para o atendimento de urgência e emergência que a encontrada aqui. Todos os envolvidos estão de parabéns”, enalteceu o secretário municipal da Saúde, Dr. Claudio Lucas Miranda.

O simulado, em Botucatu, é uma iniciativa do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e do Corpo de Bombeiros. Ele contou ainda com a participação da Secretaria Municipal de Segurança [Guarda Civil Municipal e Defesa Civil], Polícia Militar, Polícia Rodoviária, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), Rodovias do Tietê, Policia Militar, Unimed, e equipe de seguranças e brigadistas do Shopping Botucatu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here